As empresas não mudam, quem deve mudar é você.

mudar

O medo da mudança é uma das principais razões que impedem uma mudança. Acredito que isso já é de conhecimento de todos.
O medo paralisa. Medo de falhar, medo do fracasso, medo da perda, medo de sair da zona de conforto e, acredite se quiser, até “medo do sucesso”.

Tudo que falo foi constatado em cima da minha observação e estudo, não sei se tem base científica, nem foi validado com especialistas, portanto, é de minha única e exclusiva interpretação.

Você já deve ter lido casos de empresas que não inovaram e foram engolidas pelos concorrentes, inclusive de outras categorias, como por exemplo a Blockbuster, a Kodak, Blackberry, Sega, etc.
Mais recentemente casos de sucesso como Airbnb (sacudiu o mercado de hotelaria), Uber (trouxe a tona as fragilidades e oportunidades do mercado de transporte urbano).
Estes casos mostram que as empresas tradicionais não estão buscando a inovação e a mudança nos seus modelos de negócio com a velocidade necessária.

O que não fazer?
O que não fazer é ficar esperando algo acontecer para reagir. Não dará mais tempo.
A certeza é que seu segmento será reinventado em breve, muito antes do que você espera. Ou você age agora ou tchau.

O que fazer?
Implantar imediatamente na sua empresa um modelo de mudança constante, criar a cultura de startups dentro dos seus departamentos, estudar, pesquisar, testar, ouvir o mercado e trabalhar urgentemente o mindset dos seus funcionários. Tirar a aversão ao risco, o medo de errar, a aversão ao fracasso. O quanto antes.

O medo da mudança, medo do desconhecido, traz a tona a fragilidade dos funcionários que temos nas nossas empresas, por este motivo os líderes são tão importantes na gestão desta ansiedade e medo no momento da mudança.

Similar ao caso dos pinguins que se mudam, obrigatoriamente no caso deles, de um lugar para outro por conta do derretimento do seu iceberg, as mudanças para os humanos dentro das empresas deve ser encabeçadas e chefiadas por um líder.

Toda a equipe precisa assistir o seu líder iniciar o processo de mudança, confiar nele e seguí-lo em busca de mais peixes e sobrevivência para a comunidade de pinguins.
Ou mudamos ou morremos. Como para os pinguins.
Tanto se fala em inovação, um monte de teoria e frases imperativas. Mude. Inove. Mude ou morra.
Sim, é preciso inovar, é preciso mudar, mas mais do que isso, temos que ter pessoas dentro da empresa dispostas, com atitude e sem medo de mudar.

 

“As empresas não mudam. Quem muda são as pessoas, que mudando, mudam as empresas.” 

 

Em muitos casos, o nosso inconsciente não nos permite mudar. Isso se chama Auto sabotagem. Criamos várias desculpas, desde orçamento, tempo, equipe, crise do país, e outras de todo tipo.
Você sabe dos prós, contras, de todos os benefícios e melhorias, mas não muda.

Por exemplo, digamos que você planeje, aprove e implante um novo projeto de redução de custos na sua empresa e ele comece a “dar certo”. Imagine só, tudo dar certo!
Você vai crescer na carreira, vai ter que contratar alguém pra ficar no seu lugar, vai ter que liderar uma nova equipe, vai ter que se reportar ao presidente ao invés do diretor, vai ter mais responsabilidades, vai ter uma remuneração maior, vai ter um PPR gordo e férias junto com a família todo ano.
Caraca, quanta mudança!

Essa nova possibilidade assusta muita gente. As pessoas terão que lidar com tantos desafios desconhecidos (bons e ruins), precisarão desenvolver competências novas, terão que aprender a lidar com mais abundância na sua vida, com mais felicidade.
O inconsciente analisa e te diz que ficar do jeito que está é melhor, você não corre riscos e isso é bom pra você.
Pronto, travou.

Em muitos casos o medo da mudança é maior do que a força de mudar, apesar de tudo poder dar muito certo.

As empresas precisam identificar os profissionais que se auto sabotam e sabotam, consequentemente, as mudanças dentro da empresa também.

Recomendo uma conversa individual para trazer a tona a realidade e também que a pessoa identifique nela mesma este comportamento. A primeira medida é que a pessoa perceba em que pontos está agindo assim e como poderia melhorar, gerando assim um plano de melhora. Se quiser melhorar, é claro. Ninguém é obrigado a nada, nem a ficar na empresa.
Após isso, demonstre as possibilidades e criem um planejamento juntos, abra a mente para o novo, para as possibilidades positivas e diminua as negativas.
Foquem no que pode ser conquistado.

A mudança começa de dentro. Você precisa mudar para que o seu entorno mude.
As mudanças só ocorrerão quando você estiver disposto a abraçar todas as consequências, boas ou ruins.

Mudar este mindset é nosso desafio como líderes de equipe.

As empresas somente conseguirão inovar ou mudar completamente se tiverem uma equipe sem medos, sem travas e disposta a inovar e a comprar as idéias dos líderes.

É claro que as mudanças podem trazer consequências ruins, mas acredite, nada é pior do que ser engolido e ficar com o sentimento de não ter feito nada.

Sucesso a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *