Dica simples para acertar o Timing das decisões

timing

Na prática ter timing significa atuar no momento certo, nem antes, nem depois.
No mundo empresarial esta expressão é muito usada. Se tornou um clichê, e deveria ser tratado com mais efetividade, fazendo jus ao real sentido da palavra.

Vou desenvolver um pouco sobre o mal uso e dar uma dica de aplicação no dia a dia. O importante é pegar o conceito e adequar ao seu estilo de liderança e modelo do seu negócio.

A correria do dia a dia e a burocracia que as nossas empresas se transformaram, nos faz muitas vezes refens de decisões ruins, fora de “timing” e não raras vezes descabidas.

Quem nunca recebeu uma oferta ou indicativo de um fornecedor, um parceiro ou mesmo internamente pela equipe para fazer alguma compra, melhoria ou investimento e, passado todo o processo interno, aquele bom negócio inicial já não é mais um bom negócio. Relendo isso eu já me recordo de algumas situações.

Agilizar todas as decisões é praticamente impossível, a não ser que você seja uma empresa de um homem só e extremamente ágil, visto que nem todos têm a caneta na mão e as informações necessárias para tomar as decisões com tanta velocidade, mas existem formas de agilizar e poder aproveitar estes momentos que ocorrem com mais frequência do que imaginamos.

 

– Dica –

Uma das formas é criar um modelo que agiliza e incentiva a tomada de decisões rápidas, definindo com antecedência alguns parâmetros que, se as oportunidades que aparecerem se encaixarem dentro deles, a condição de aceite já está pré-aprovada, não necessitando passar pelo processo completo.

Exemplo:

Já deixamos alinhados que se aparecer um fornecedor de café para o escritório que oferte, cumprindo os requisitos técnicos, de qualidade e de prazo, um preço pelo menos 40% abaixo do que compramos atualmente, a compra pode ser feita num processo expresso, com muito menos burocracia.

Estas oportunidades aparecem frequentemente.
Mas por que?
Porque muitas empresas necessitam acelerar seus faturamentos para fechar alguma meta, renovar estoque ou simplesmente ganhar mais mercado. Elas fazem ofertas muito abaixo do preço convencional e sempre, isso é a única certeza desse negócio, possuem prazos para aceite/compra muito, muito curtos.

Tá aí o fato de sua empresa precisar ser ágil para não perder o famoso “timing”.

Faça este exame interno e veja quais decisões poderiam ser tomadas com mais agilidade. Defina quais seriam as métricas a serem analisadas e quais os descontos que seriam eletivos ao processo expresso.
No começo poucas decisões vão ser agilizadas, mas o mais importante é criar com isso uma cultura e aos poucos ir reduzindo o % até que a empresa se torne mais ágil e tenha reais ganhos com o acerto do “timing”.

Esse foi um exemplo, mas outros poderão ser derivados, já que o conceito permanecerá o mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *